O Vendedor de Sonhos A Revolução dos Anônimos
×
O Vendedor de Sonhos A Revolução dos Anônimos
O Vendedor de Sonhos A Revolução dos Anônimos
De: R$ 5,99
Por: R$ 2,99 FRETE GRÁTIS!
12× de R$ 0,30
vezesparcelatotal
sem jurosR$ 2,99R$ 2,99
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

vezesparcelatotal
sem jurosR$ 2,99R$ 2,99
R$ 1,56R$ 3,12
R$ 1,05R$ 3,15
R$ 0,80R$ 3,20
R$ 0,65R$ 3,25
R$ 0,55R$ 3,30
R$ 0,48R$ 3,36
R$ 0,42R$ 3,36
R$ 0,38R$ 3,42
10×R$ 0,35R$ 3,50
11×R$ 0,32R$ 3,52
12×R$ 0,30R$ 3,60
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

vezesparcelatotal
sem jurosR$ 2,99R$ 2,99
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

vezesparcelatotal
sem jurosR$ 2,99R$ 2,99
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.


Adicionar ao Carrinho
Sinopse: Psicótico? Sábio? Impostor? Pensador? Depois de perdas irreparáveis, depois que seu mundo desmorona, esse homem procura reunir seus fragmentos e reconstruir sua vida vendendo sonhos. O Vendedor de Sonhos ou Mestre se torna um "profeta da filosofia". Seus discursos são cortantes como lâminas; suas ideias, arrebatadoras. O romance O vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos mostra como a trajetória de cada ser humano é admiravelmente complexa, escrita com lágrimas e júbilo, tranquilidade e ansiedade, sanidade e loucura. Seus discípulos são baderneiros e revolucionários que transformam drama em comédia e colocam grandes ideias num circo social.

Quando o assunto é a realidade da nossa sociedade as coisas se tornam mais difíceis de compreender e até mesmo de descrever, vocês não acham? Pode até ser para nós mas o nosso mestre Augusto Cury pode muito bem discordar disso. O vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos é realmente um dos melhores livros brasileiros que eu já li, e acredite, sou extremamente chata para autores brasileiros.

Primeiramente eu quero realmente parabenizar o escritor pelas suas belas obras, afinal Augusto Cury é realmente um ótimo escritor e que nos faz pensar e repensar nossas atitudes diárias. Meu primeiro livro foi um imposto pela escola em que eu estudava e desde aquele eu me tornei uma grande fã do autor, exatamente por ele ter a capacidade de me fazer ver o "outro lado da moeda". Cury é um autor renomado que fez seus livros alcançarem publicações em mais de 60 paises, acredite, isso já pode dizer que ele é bom no que faz. Também não posso esquecer de mencionar que além de escritor ele é professor e médico. Muito folego hein!
Dedicatória: A todos os anônimos da sociedade, que compreendem que a existência é um grande contrato de risco. E que "leram" nas cláusulas desse contrato que o drama e a comédia, as perdas e os ganhos, os desertos e o oásis, o relaxamento e o estresse são privilégios dos vivos.
Vale apenas comentar que essa é a primeira parte do livro, então dá para ver que o autor é realmente incrível. Eu acho incrível a forma como ele criou um personagem com a mesma timidez que muitas pessoas tem e como ele cresce com o personagem ao decorrer dos três livros. Para quem não sabe o Vendedor de Sonhos é composto por três livros,valendo salientar que o próprio autor comenta que os livros não precisam ser lidos em sequência. Eu acredito que, para melhor compreender os personagens sempre vale a pena ler na ordem mesmo, então aqui está ela:
O Vendedor de Sonhos: O chamado;
O Vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos;
O Semeador de Ideias.
O interessante do livro é que ele sempre traz presente aquele personagem acanhado e cheio de preconceitos com os demais, sejam pelas formas de pensar e agir. E o melhor de tudo é que esse personagem cresce com a ajuda da figura do Mestre e aprende que as pessoas não são iguais, que elas pensam diferente e tem visões que também diferem da própria para uma mesma situação. Acima de tudo, todos os diálogos do livro mostram que a sociedade é doente, cheia de rótulos que tentamos seguir e que aprendemos desde o início a seguir ideias e não a criar novas.

A forma como o autor nos grita um "saia desse sofá, faça a diferença" é enorme. Ele trabalha muito a ideia de que estamos tão acostumados em trabalhar, trabalhar, trabalhar que nos tornamos apenas escravos do sistema e suas tecnologias. Que dedicamos muito tempo aos outros e não a nós mesmos e a nossos ideias e sonhos. E o principal é que não depositamos fé nas crianças, muito menos nos jovens, afinal não os incentivamos a quebrar as regras e nos trazer novidades, e sim a apenas copiar e repetir coisas já antes criadas ...